sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Diário da Cintura - Capítulo XXIII: Overbusts x Underbusts

Diário da Cintura - Capítulo XXIII
Overbusts x Underbusts

Rio de Janeiro, 21 de fevereiro de 2014.

Amamos a Lucy!
Tem coisas que a gente sabe porque sabe. Não precisa ficar explicando muito. Tipo: não é bom dormir de cabelo molhado. Por quê? Por um monte de motivos, oras! Desde daquele motivo surrado: "minha vó disse que faz mal", até aquele outro "mofa o cabelo". Mas quando a gente pensa em dormir de cabelo molhado, sabe logo que não é uma coisa assim tão genial de fazer.

Me sinto de mesmo jeito em relação ao tipo de corset usado para o waist training: tem que ser o underbust.
Ué, por quê? Porque sim!

Mas, mais uma vez, assistindo a um vídeo fresquinho da Lucy, descobri a resposta e fiquei satisfeita com ela. Não é que eu não soubesse a resposta. Se parasse pra pensar um pouquinho, conseguiria argumentar sobre isso. Mas tava com preguiça. E gostei muito desse vídeo da Lucy e da postagem no seu blog: When to Consider an Overbust Corset - and When to Pass (Quando considerar um corset overbust - e quando recusar, tradução nossa).



Contras do corset overbust
No texto a Lucy diz que sempre bateu na tecla de que, se você quer um corset para usar diariamente, deve escolher um underbust, mas nunca tinha se justificado.
Ela diz também que existem 5 razões principais para que um iniciante no waist training (arrisco a dizer que um veterano também) deva dar preferência a corsets underbust:

  • 1º Contra do Overbust: redução da mobilidade. Como os overbusts são logicamente mais longos e como a gente tá careca de saber que os corsets são relativamente rígidos, é claro que eles restringem muito mais os movimentos do que um underbust. Simplesmente porque o underbust é mais curto, imobilizando somente do torso pra baixo, ou, no caso dos corsets waist cincher, nem isso. 
Minha redução de cintura chamou atenção de um monte de mulheres. Todas perguntando como é que eu tinha conseguido esse milagre. Quando eu contava e mostrava o corset, muitas recuavam e ficavam com medo, como se o corset fosse algum instrumento de tortura. 

Tenho o hábito - talvez extremamente chato - de querer compartilhar com os outros quando descubro alguma coisa que acho genial. Pra mim o waist training foi um achado dos deuses, por isso me sinto feliz em compartilhar as experiências. A primeira pergunta que eu sempre ouço é: "Como é que você respira?". Então lá vou eu explicar, mostrar que meus pulmões não estão apertados, dizer que estou entortando só as costelas flutuantes e que elas não influenciam, ou influenciam muito pouco na respiração...

Mesmo assim, proselitista como sou, nenhuma garota que conheço - apesar de váaaaarias terem pegado os sites, as dicas e os conselhos - resolveu comprar um corset e começar seu treino. Se mesmo com a indicação do underbusts elas ficam com medo de não conseguir abaixar, respirar, sentar, se mover, maxina com um overbust.


  • 2º Contra do Overbust: redução da capacidade total de expansão pulmonar. Mais uma vez, os overbusts são muito mais longos, chegando até a parte de cima dos seios. A porcentagem da caixa toráxica imobilizada por um corset overbust é maior, diminuindo a capacidade de inflar totalmente os pulmões.
Os corsets não devem ter elasticidade, já que eles agem sobre o corpo, e não o contrário. Quando você fecha seu corset overbust deve considerar a necessidade de um espaço para que seu pulmão expanda e você possa continuar respirando - porque não adianta ter um cintura fina se você morre asfixiada, né, bem? Por outro lado, as peitcholas não podem fugir, então você também tem que considerar que não dá pra deixar o overbust tão frouxo assim.

Então, noves fora nada, você não consegue uma liberdade de expansão pulmonar tão boa quanto no underbust.


  • 3º Contra do Overbust: não ficam bem escondidos sob a roupa. Os corsets overbusts não suportam os seios da mesma maneira que os sutiãs. Tem overbust com bojo, mas arrisco a dizer que a maioria é sem bojo. Os corsets underbust simplesmente não dão o mesmo formato aos peitos sob a roupa. Principalmente os sem bojo, que tendem a achatar os seios. Se optar por um corset com bojo por baixo da roupa, os peitos tendem a ficar mais pra cima do que com um sutiã e o colo mais volumoso, criando mais decote do que os sutiãs comuns. Usar um underbust com seu sutiã deixa a produção mais discreta sob a roupa.
Confesso que sou louca por corset overbusts. Apesar de só ter um. Acho que eles são mais usáveis como roupa do que os underbusts. E meu único corset overbust não tem bojo. Mas eu sou alucinada por corsets com bojo. O problema é que dos corsets com abertura frontal e bojo, só os da Madame Sher são perfeitos na minha opinião:

(crédito da imagem para Madame Sher)
Sou alucinada nesse corset. Ele tem busk frontal, mas olha como o bojo cobre o peito todo, como o colo fica bonito e como ele não separa os peitos de maneira estranha.
É perfeito!

Há outros corsets com bojo que são lindíssimos, mas esses não tem abertura frontal. E eu acho que gosto muito mais dos que têm abertura frontal. Porque se não tiver, há necessidade muito maior de cordame para fechamento atrás. E se tem uma coisa difícil de lidar em um corset é a quantidade enorme de corda que sobra quando a gente fecha o bendito.

(crédito da imagem para Lucy's Corsetry)
Também fiquei doida nesse overbust com bojo da Sinner Couture aqui. A abertura frontal é de mentirinha.
Mas eles nem tem mais esse modelo pra vender!

Agora, olha só que coisa estranha são os corsets com bojo e abertura frontal. Em geral os peitos ficam um olhando pro peixe, outro pro gato.
(crédito da imagem para Versatile Corsets)
A Versatile Corset ficou famosa por conta desse modelo, mas eu acho ele super horroroso! Olha os peitos separados!!


  • 4º Contra do Overbust: maior dificuldade de se ajustar propriamente. Se já é difícil arranjar um sutiã que vista corretamente (se fica bom nas costas, falta no bojo, e vice-versa ao contrário), imagina uma peça enorme que tem que servir nos seios, no tórax, na cintura e no comprimento? A Lucy conta que isso é muito complicado mesmo para corsets sob medida, imagina para os comprados em tamanho padrão. Ela também disse que tem alguns corset sob medidas bem caros que não ficam bem ajustados no seu corpo.
Gallerë, pela mão - e cintura - da Lucy passaram cerca de 150 (cataploft) corsets e ela confessou que até hoje ainda não achou o corset perfeito! Se é difícil encontrar um corset underbust que se ajuste perfeitamente ao corpo, imagina um overbust com muito mais fatores pra serem ajustados!

Tenho esses meus 4 corset: 3 underbusts de treino (um aposentado porque já está grande demais. Rá! Tiro muita onda!!!) e um overbust - lindo!!! - e nenhum deles se ajusta perfeitamente em mim, assim como uma luva. 

Nem os underbusts se salvam. Um aperta dos lados, outro sobra na frente, outro no tórax, outro dá uma dorzinha do lado direito, outro me belisca as costas, outro é comprido embaixo e curto em cima... É assim.


  • 5º Contra do Overbust: mais caro. A Lucy diz que por conta do comprimento, um corset overbust gasta mais tecido, o busk e as barbatanas são maiores, gasta mais corda e ilhoses. Se o orçamento é apertado, é melhor optar pelo underbust.
Esse lance de gastar mais material eu acho besteira. A diferença entre o preço de um corset underbust e um overbust não pode ser explicada somente por isso. Acredito que um overbust dê muito mais trabalho pra ser feito e consuma muito mais tempo da corsetmaker, por isso é mais caro.


Putz... Então um corset overbust é só tristeza?
Claro que não!
Há vantagens no overbust também. Cabe a cada um dosar se elas são suficientes para o investimento. Seguem vantagens destacadas pela Lucy:

  • 1º Vantagem do Overbust: melhor suporte de postura. Por ser geralmente mais alto nas costas, é quase impossível curvar os ombros e ficar com a postura troncha.
  • 2º Vantagem do Overbust: possível controle de dor no alto das costas ou correção de escoliose. Há relatos de pessoas que usaram corsets overbusts para administrar e tentar corrigir a escoliose, obtendo um significante progresso. Mas isso só pode ser feito com consulta e total apoio do médico.
  • 3º Vantagem do Overbust: suporte para peitos grandes ou pesados. Nos sutiãs o suporte deveria ser feito pela tira das costas, mas a gente sabe muito bem que em geral o suporte é feito pelas alças. Usar um corset overbust vai distribuir o peso do peito por toda a estrutura do corset, não ficando concentrado em ombros e peito.
(crédito da imagem para Lucy's Corsetry)
Essa moça é a Beth. Ela está usando um corset overbust Jupiter Moon 3.
Imagina o peso dessa peitarrama! Ela deve amar seu corset e usar como sutiã sempre!
  • 4º Vantagem do Overbust: prevenção ou controle de lesões nos ombros ou Síndrome do Desfiladeiro Toráxico. Podem ser causados pelo suporte de peitos muito grandes ou pesados.
  • 5º Vantagem do Overbust: silhueta de Barbie! Essa vantagem fui eu quem colocou! Huahahaha Realmente acho que a silhueta com um overbust, principalmente se for cônico, deixa o corpo da mulher realmente lindo! Nunca me senti tão feminina quanto quando coloquei meu corset overbust. Finalmente estava com a silhueta e as medidas que sempre sonhei! S2

Mesmo com os pontos positivos, continuo concordando que overbusts não são indicados para waist training.

A Iris do blog Tight Lacing diz que eles não são indicados para "tight lacing", mas ela usa esse termo querendo se referir ao treino, ao waist training

É claro que overbusts são indicados para tight lacing, afinal, conforme o post da Lucy Waist Training vs tight Lacing - what's the difference, as duas expressões se referem a coisas diferentes, e tight lacing tem a ver com apertar a cintura para conseguir uma redução considerável, o que é diferente do ato de usar o corset constantemente para reduzir a cintura de forma gradual. E a Iris está se referindo a essa última prática.

Se overbusts não fossem indicados para tight lacing, esse corset aqui embaixo não poderia existir. Ou alguém acredita que essa é a cintura natural dessa moça?

(crédito da imagem para Jeroen van der Klis)
Esse Jeroen é o corsetmaker da Bizarre Design.
Talentoso é pouco!
Mas confesso que as criações dele são realmente bizarras.

Voltando, se estamos falando de waist training, de usar o corset por longos períodos de tempo todos os dias, ou quase todos os dias, da semana, então é melhor se convencer de que precisa de um underbust.
Curioso? Leia Mais aqui! ►

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Mão na Massa: Mais Material de Estudo

O título dessa mini-série é "Mão na Massa", mas mão na massa mesmo, necas ainda.

Isso porque ainda estou no Planejamento, a primeira fase de qualquer projeto.
Para planejar é preciso estudar. E para estudar, comprei mais livros.

The Dressmaker's Handbook of Couture: Sewing Techniques. Essencial step by step techniques for professional results (Lynda Maynard)

O Guia de Alta Costura da Costureira: Técnicas de costura. Técnincas passo-a-passos essenciais para resultados profissionais (tradução nossa). Esse livro pode ser encontrado na Amazon nesse link a partir de U$11,77.

Texto retirado da descrição do livro na Amazon e traduzido por moi.
"Recheado com dicas e técnicas profissionais, The Dressmaker's Handbook of Couture Sewing Techniques tira o mistério das técnicas de costura e acabamento que muitos costureiros assumem ser ou extremamente difíceis ou somente para estilistas profissionais.
Estilista e expert em costura, Lynda Maynard detalha cada técnica profissional com instruções claras em estágios simples de passo-a-passo. Uma vez que essas habilidades são entendidas, costureiros irão abraçar seus projetos de costura com mais confiança e habilidade para criar looks refinados e chiques. The Dressmaker's Handbook of Couture Sewing Techniques abre a porta para resultados belíssimos com melhor modelagem, métodos de contrução mais simples, e toques profissionais no acabamento. Lynda também explica vários "segredos" aparentemente difíceis, de confeccionar vieses e acabamentos para bainhas, cavas e golas à forrações e técnicas de estrutura. Além disso, ela ensina como dominar toques de acabamento desde pontos texturizados a estofamentos e apliques. Um guia completo com os tecidos ideais para cada técnica e fotos de moda inspiracionais também estão incluídos."

Achei que esse livro seria bacana por abordar técnicas de acabamento, principalmente. Além disso tem uma relação de "segredos" de profissionais da área de moda para ajudar a dar uma cara mais profissional aos trabalhos de costura.


The Complete Photo Guide to Perfect Fitting (Sarah Veblen)

O Guia Fotográfico Completo para um Caimento Perfeito (tradução nossa). Esse livro pode ser encontrado na Amazon nesse link a partir de U$13,55.

Texto retirado da descrição do livro na Amazon e traduzido com minhas incríveis habilidades em ingreis:
"Aqui está a referência definitiva para teste de caimento de roupas e transferência precisa de ajustes aos moldes! Não importa que tamanho ou silhueta você tenha, usar roupas que se ajustem corretamente faz com que você pareça e se sinta melhor. Invés de fazer mudanças comumente aceitáveis em moldes comerciais, o método apresentado neste guia está focado na maneira que uma roupa modelo se ajusta ao corpo. O tecido é manipulado para melhorar o caimento, e então essas mudanças específicas são feitas aos moldes. O resultado: moldes que se ajustam perfeitamente!
Com o Complete Photo Guide to Perfect Fitting você vai aprender:
- A importância dos eixos de ajuste e como usá-los durante um ajuste;
- Como reconhecer problemas com o caimento, como linhas de franzido e folgas;
- Como manipular o tecido para resolver os problemas de caimento mais comuns e usuais;
- Como transferir as mudanças de ajuste para seus moldes de forma fácil;
- Habilidades básicas para confeccionar moldes e assegurar alterações precisas.
Veja o processo de ajuste do início ao fim em roupas básicas ajustadas para pessoas reais. Então siga as soluções de ajustes para tipos diferentes de corpos. As lições que você vai aprender irão te ajudar a ajustar roupas em qualquer corpo."

Esse livro foi escolhido pelas lições para ajuste perfeito de roupas ao corpo. 
Confesso que estou em busca do corset com caimento perfeito e talvez, com o passar do tempo e adquirindo experiência, espero conseguir. As regras básicas para conseguir ajustar roupas devem funcionar também para corsets, não?


Couture Sewing Techniques: Revised & Updated (Claire B. Shaeffer)

Técnicas de Alta Costura: Revisado e Atualizado (tradução nossa). Esse livro pode ser encontrado na Amazon nesse link a partir de U$14,77.

Texto retirado da descrição do livro na Amazon e traduzido daquele jeito por mim:
"O mundo da alta costura é um lugar onde somente uns poucos privilegiados pode ter esperança de estar, certo? Errado. A historiadora de moda Claire B. Shaeffer abriu a porta para esse campo exclusivo no seu guia auto-orientativo para as técnicas que definem a alta costura. E agora, a bíblia da indústria, Couture Sewing Techniques, foi revisado e atualizado inteiramente - com novas fotos e um capítulo sobre tecidos especiais. Ninguém pode destrinchar a confecção de roupas em alta costura do jeito que Shaeffer faz, da arte da costura à mão ao domínio do acabamento das barras, até fechos clássicos e modelagem de uma roupa para o caimento perfeito. Leitores aprendem todo o básico - e mais importante: como aplicar as técnicas - em saias e mangas, bolsos e jaquetas, vestidos de gala, e mais. Fotos lindíssimas, ilustrações claras, e linguagem concisa combinados para fazer deste o mais completo curso de alta costura disponível."

Por fim, comprei esse livro porque estava muito bem recomendado e era referência em cursos de aprimoramento de costureiras. E todo aprimoramento é bem vindo!
Curioso? Leia Mais aqui! ►

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Mão na Massa: Tutoriais Sobre Confecção de Corsets

Pesquisando sobre a confecção de corsets há muitas coisa na internet.
E como internet é terra de Marlboro, temos que separar o joio do trigo.

Vou destacar duas fontes que achei bem interessantes sobre confecção de corsets e que mostram passo-a-passo bacanas e fáceis de seguir:


Dominique Bellefleur
Essa garota linda e talentosa nasceu no Paraná e tem 31 anos. Seu blog é o Dominik Bellefleur e sua página no Facebook (que eu sigo, óbvio) é a Dominik Bellefleur Corsets.
Uma pena que ela só publique no Facebook agora (a última postagem do blog é de janeiro de 2013), porque quem trabalha e tem bloqueio de internet (como eu) não consegue ler.

Ela fez umas postagens super bacanas sobre confecção de corsets.

(crédito da imagem para Dominik Bellefleur)

Esse post é super cuidadoso e bem feito. Super detalhado na forma de como tirar as medidas para confeccionar um corset.

A Dominik dá conselhos sobre como achar a cintura, indica o material correto para tirar as medidas (pode parecer besteira, mas é preciso frisar que as medidas devem ser tiradas somente com fita métrica de costura, e não com régua, trena, metro, ou qualquer outro instrumento de medição).

Ela relaciona as medidas horizontais e verticais, e nomeia cada uma delas para facilitar a vida de novas corsetmakers.

Acho muito foda e louvável quem compartilha cazamigas suas experiências.
Sempre vai ter alguém que quer saber a mesma coisa que você acabou de descobrir. :)


(crédito da imagem para Dominik Bellefleur)

Uma relação quase exaustiva dos materiais e equipamentos necessários para a confecção de um corset.

Dominik relaciona desde materiais básicos para o desenho do molde, até os tecidos das camadas do corset, a estrutura em aço - as barbatanas espiraladas flex e as barbatanas flat, em chapa de aço inoxidável.

Senti falta no post dos locais onde ela compra seus suprimentos, mas nos comentários ela relaciona alguns lugares onde dá para encontrar.

Minha maior dificuldade é com as barbatanas e busks. Ela diz que encontra na Rua 25 de Março, em São Paulo. Eu sei que é possível encontrar barbatanas na Caçula, aqui no Rio de Janeiro (Fatise, grande amiga e artesã me contou e mandou foto), mas ainda não fui lá pra conferir.

Sou muito preguiçosa e preferiria mil vezes comprar online. Até hoje só achei uma loja online com todos os materiais necessários, a Corsetmaking. Tem ferramentas e materiais por lá com um preço competitivo, o problema é o frete, porque essa loja fica na Philadelphia, EUA.


(crédito da imagem para Dominik Bellefleur)

Nesse post a Dominik fala desde o desenho dos moldes até o corte deles no tecido, passando pela relação das camadas de tecido necessárias a um corset.

Gostei bastante dela recomendar fortemente que antes do corte do tecido definitivo, a corsetmaker faça uma maquete, ou mock-up, em um tecido forte e menos nobre (que tal usar as pernas daquela calça jeans velha e feia centropeito que você nem usa nais?).

Mas uma coisa da qual eu senti falta foi da orientação de acordo com o fio do tecido.
De acordo com Renata Perito, em seu livro Costura à Mão: Fundamentos, os tecidos têm dois tipos de fio: urdume (paralelos à ourela) e a trama (perpendicular à ourela). Os fios do urdume são mais resistentes do que os da trama. Então, no caso de um corset, onde a tensão está concentrada na horizontal, será que não é melhor que os fios do urdume sejam paralelos à linha de cintura?


(crédito da imagem para Dominik Bellefleur)

Aqui Dominik aconselha ao alinhavo antes da costura definitiva na máquina.

Concordo plenamente, não dá para imaginar pegar duas peças e partir para a máquina sem alinhavar primeiro, mas acho que ela se confundiu, pois descreveu o processo de alfinetar e não de alinhavar.

Alinhavar é utilizar uma agulha de mão para dar pontos provisórios antes da costura definitiva. Depois da costura definitiva as linhas de alinhavo são retiradas.

Ela conselha - muito bem - a colocar os alfinetes bem próximos uns dos outros e a ir retirando conforme for avançando na costura.

Particularmente acho que alinhavar é mais seguro, mas cada um faz como acha conveniente. Dá tranquilamente para realizar uma boa costura utilizando os alfinetes, e se ela é experiente o suficiente e prefere fazer desta forma, é justo.


(crédito da imagem para Dominik Bellefleur)

Essa postagem é muito boa, porque é bem detalhada sobre o processo de montagem do corset.

O uso do ferro de passar é imprescindível durante a costura. A gente deve deixar a tábua aberta à disposição enquanto estiver em um projeto.

Gostei muito da Dominik ter evidenciado as três camadas do corset: a externa de tecido fashion, a intermediária de tecido resistente e a interna de tecido de algodão que não irrita a pele com a qual vai estar em contato.

O processo de união de todas essas camadas exige muito cuidado e atenção na execução. As costuras devem casar e serem fixadas para evitar que as partes se desloquem entre si.

Talvez um dos grandes problemas seja alguma discrepância no corte das partes do corset nas diferentes camadas de tecido. Tudo tem que estar muito bem encaminhado e executado para o corset dar certo.


(crédito da imagem para Dominik Bellefleur)

Confesso que quando li o título dessa postagem fiquei completamente confusa. Achei que a Dominik iria explicar como tirar as barbatanas de um corset pronto. Mas não. A postagem é exatamente ao contrário, explicando o processo de estruturação do corset.

Conforme o Dicionário Online Michaelis, desossar é "tirar os ossos". Então acho que o título perfeito para a postagem é "Como Estruturar o Corset".

Mas isso é irrelevante, porque as informações que a Dominik passa é que são importantes. Ela ensina como fazer canaletas para as barbatanas com o próprio tecido estrutural (camada do meio), como medir a canaleta e traduzir essa medida para as marcações existentes na máquina de costura, e como costurar de forma firme para evitar fazer canaletas estreitas demais (não vão deixar a barbatana entrar) ou largas demais (a barbatana pode entortar lá dentro).


(crédito da imagem para Dominik Bellefleur)

Agora começa o acabamento. Depois de montar e estruturar o corset, precisamos fechar as canaletas de forma que as barbatanas não escapem. Isso é feito com o viés.

Aqui a Dominik ensina como cortar o viés, que, pelo nome, percebe-se que se corta enviesado no tecido, ou seja, se corta com um ângulo de 45º em relação à trama (ou à ourela, se preferir, porque dá no mesmo), como fixar ao corset e como fazer um acabamento limpo.

Um corset pode estar bem modelado, bem costurado, mas se tiver mal acabado, com vieses mal colocados ou mal arrematados, fica com um aspecto péssimo de coisa barata e malfeita.


(crédito da imagem para Dominik Bellefleur)

Para terminar esse mini curso sobre confecção do corset, a postagem sobre colocação dos ilhoses para passagem do cordame.

A Dominik destaca a importância da marcação dos furos e depois usa um alicate para colocação dos ilhoses.

Acho até que o alicate é um bom aliado, mas para colocar ilhoses de forma profissional e firme, é bem melhor usar um balancim.

Um balancim é uma peça de mesa onde se acoplam matrizes diferentes para cada tipo de acessório que vá ser usado, sejam ilhoses de diferentes tamanhos (uma matriz para cada tamanho), sejam botões de calça jeans pregados à pressão, sejam botões forrados.

Um balancim custa de R$60 a R$80 e tem mil e uma utilidades. Acho um bom investimento para quem pretende confeccionar seus próprios corsets.


Lucy's Corsetry videos
Eu amo essa garota. Acho que ela fala de praticamente tudo que envolve a corseteria, waist training e tight lacing. É claro que ela também fala sobre a confecção de corsets.

Ela fez uma série sobre as fases de construção de corsets. Achei que tem tudo a ver. Mas são em inglês sem legendas. Mesmo assim dá pra entender bem.

Como tirar medidas para um corset sob medida?
Guia visual sobre como tirar as medidas corretamente.



Medição para corpos assimétricos
Não sou médica nem cientista, mas acredito que todas as pessoas tenham um certo grau de assimetria em seu corpo. Algumas em maior grau que outras.
Para praticar o waist training em um corpo muito assimétrico, principalmente se a pessoa tiver escoliose da coluna, é preciso consultar um ortopedista.
Além disso é preciso que a corsetmaker saiba da assimetria e que tenha experiência na confecção de corsets assimétricos.
Nesse vídeo a Lucy mostra como medir corpos com o lado direito diferente do esquerdo.



Confecção de corsets: introdução aos moldes
Existem inúmeros modelos de corset. Dependendo do seu estilo e do uso pretendido, o molde do corset vai variar bastante.
Pra quem está confeccionando um corset, principalmente um corsertmaker iniciante, é importante atentar para o grau de dificuldade da empreitada de acordo com os moldes.



Moldes de corset sob medida utilizando Duct Tape
Sabe aquela fita prateada praticamente indestrutível, a Duct Tape? A Lucy dá a dica de fazer os moldes no seu corpo usando essa fita.



Cortando a forma do Duct Tape em peças de molde
Nesse vídeo a Lucy transforma o molde em 3 dimensões feitos com o uso do Duct Tape em peças dos moldes de dois diferentes modelos de corset.



Confecção de corsets: tecido resistente
Os corsets não são peças deformáveis, não são pecas elásticas. O corset age sobre seu corpo muito mais do que seu corpo age sobre ele. Por isso um corset precisa ser estável e ter um tecido resistente dentre suas camadas para assegurar essa característica.
Tanto para a confecção do mock-up (corset de teste) quanto para o produto final, é importante destacar a importância do tecido resistente.



Maquetes de corsets: o que, por que e como
A importância da execução prévia de uma maquete utilizando os moldes e as medidas do corset, assim como como executar um mock-up.



Confecção de corsets: passando seu molde para o tecido
Passar os moldes para o tecido é uma fase muito importante e merece todo cuidado. Se não for bem executada, pode arruinar o corset.
Aqui dicas da Lucy sobre como fazer esse procedimento.



Confecção de corsets: cortando seu tecido
Lucy mostra as ferramentas e maneiras de garantir que o corte do tecido seja feito conforme o esperado e traga o resultado planejado.



Confecção de corsets: fixando seus painéis com exatidão
Outra fase muito delicada da confecção do corset. As peças do molde são quebras-cabeças que precisam ser encaixadas perfeitamente para garantir o caimento e acabamento perfeitos.
A Lucy também usa alfinetes, mas minha avó ensinou que primeiro colocamos os alfinetes, depois alinhavamos e só depois costuramos.



Confecção de corsets: costurando os painéis juntos
Hora da verdade: costurar definitivamente os painéis juntos. Esse não é um processo simplesmente de costurar reto na máquina. As costuras do corset precisam ser particularmente resistentes.



Confecção de corsets: inserindo a fita da cintura (método invisível)
Uma peça importante do corset é a fita de cintura. Feita de um material bem resistente e nada elástico, ela ajuda a garantir que o corset não se deforme no uso e mantenha a silhueta desejada.



Confecção de corsets: costurando na vala
é uma etapa importante, pois ajuda a garantir que as costuras do corset não vão abrir. Consiste em costurar na vala entre os dois painéis para reforço.



Confecção de corsets: costurando valetas para barbatanas
Preparação das valetas para receber a estrutura do corset: as barbatanas. Há várias maneiras de determinar o posicionamento das barbatanas, assim como há diversas maneiras de colocar os canais.
As barbatanas podem ser internas, externas, invisíveis, únicas, duplas, triplas, múltiplas. Pode ser usado o próprio painel para construção das valetas, uma tira do tecido resistente ou valetas prontas.



Confecção de corsets: fixação de busk - parte 1 (lado das alças)
Como colocar adequadamente o lado do busk com as alças.



Confecção de corsets: fixação de busk - parte 2 (lado das bolinhas)
Como colocar adequadamente e de acordo com a peça das alças o lado do busk com as bolinhas.



Como confeccionar um protetor de busk ou placa de pudor
Peça que pode ser estruturada ou não e protege o pequeno espaço de pele que fica aparente com o busk fechado.



Como confeccionar um busk escondido
É possível confeccionar uma placa que esconda o busk para um acabamento ainda mais fino.



Confecção de corsets: introdução às barbatanas, Introdução à barbatana espiral, Confecção de corsets: cortando e protegendo a ponta das barbatanas lisas, Cortando e finalizando barbatanas espirais de aço
Esses quatro vídeos abordam aspectos relevantes dos dois diferentes tipos de barbatanas possíveis na estruturação do corset.






Fazendo fitas de viés do início ao fim e Confecção de corsets: colocando o viés
O acabamento é uma etapa extremamente importante da execução do corset. A aplicação do viés tem o papel não só de fazer o acabamento, como de fechar as valetas das barbatanas.
Fazer o viés do tecido fashion é um toque de acabamento fino e bonito.
Esse dois vídeos se complementam no corte e colocação dessa peça de acabamento.




Confecção de corsets: ilhoses e Colocando ilhoses com alicate ou martelo
Dois vídeos sobre colocação de ilhoses.




Confecção de corsets: modesty panel estruturado e flutuante
Por fim um vídeo sobre a confecção de um modesty panel estruturado e que fique solto sob o cordame, diferente do fixado lateralmente da Madame Sher.


Acho que com isso temos bastante material para aprender o processo de confecção de um corset.


Costura de um modo geral
Sobre costura em geral, há excelentes sites para consulta com muitas dicas.
Em destaque o da Renata Perito, cujo livro Costura à Mão: Fundamentos eu já comprei faz tempo. É uma leitura fácil e cheia de dicas e exemplos de pontos, de tratamento do tecido de conhecimentos gerais sobre costura, Muito legal.

Outro site sobre costura que achei ótimo foi o SuperZiper. É incrivelmente interessante, bem feito e cheio de dicas e informações sobre quase tudo que uma costureira precisa saber. Vale muito à pena ficar algum tempo navegando nele e aprendendo coisas que podem ajudar e muito na corseteria. O mini especial Perdendo o Medo é bem bacana.
Curioso? Leia Mais aqui! ►

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Mão na Massa: E se eu fizesse um corset?

Costurando e andando
Dentre as milhares de coisas que eu gosto fazer, costurar se destaca.
Aprendi a costurar com minha avó, que já me botava, com uns 5 anos, para pregar os botões das camisas do meu avô.

Nunca tive medo de máquina de costura. Jamais houve a possibilidade de, depois de adulta, não ter uma.
Imagina! Toda casa tem geladeira, fogão, televisão, e máquina de costura! Óbvio!
Minha própria máquina foi presente do Príncipe. Fico até triste de não ter tempo de usar a bichinha tanto quanto gostaria.

E agora, com esse meu interesse pela corseteria, fiquei matutando: E se eu mesma costurasse um corset?

Faz muito tempo mesmo que essa ideia está rondando minha cabecinha, mas não pude colocar em prática ainda por conta do compromisso com o mestrado. Agora que o mestrado está quase no fim, que já terminei de escrever a dissertação e estou fazendo a apresentação, é possível que em março eu possa dar os primeiros passos nessa direção.


#Comofas?
Sobre costurar, tem algumas coisas que eu já sei, mas tem muita coisa pra aprender.
E eu adoro aprender e adoro pesquisar. E acho mesmo que toda a vida pode seguir o Ciclo PDCA de melhoria contínua, inclusive o processo de costurar um corset:
  • P (Plan): planejamento. Tudo o que envolve a preparação para alguma tarefa, desde projeto da tarefa, levantamento da necessidade de materiais e equipamentos, levantamento do preço de cada coisa necessária, estudos para aprimoramento, etc;
  • D (Do): execução. O ato de efetivamente fazer a tarefa;
  • C (Check): verificação. Comparar o resultados planejados com os resultados efetivados na execução, tanto durante a execução quanto depois do trabalho pronto;
  • A (Act): ações corretivas. Análise dos resultados alcançados durante a execução, comparação com os resultados esperados e propostas de correções para tudo que não ocorreu conforme o planejado.

E pra começar, vamos para a fase de Planejamento!


Planejamento
Li em algum lugar que tem gente que começa na corseteria simplesmente utilizando um corset de outra corsetmaker como modelo e partindo daí pra frente.
Olha... Esse parece o caminho mais fácil, mas, infelizmente, eu não tenho esse perfil.
Por mais que respeite todas as corsetmakers dos corsets que eu tenho, é da minha natureza querer saber de onde vem as coisas.

Não me satisfaz repetir algo só porque deu certo: eu quero saber como e por quê deu certo.
Pra isso: pesquisa!

A Lucy, da Lucy's Corsetry tem muitas resenhas de vários livros sobre corseteria. É claro que esses livros estão em inglês, mas, como já disse antes, quem se interessa por corseteria PRECISA aprender a ler em inglês. Foi de lá que eu tirei as dicas de quais livros eu poderia comprar pra começar a conhecer os segredos da confecção de corsets.

Decidi que antes de começar qualquer empreitada costurando, preciso ler mais sobre corseteria. Por isso comprei através da Amazon 3 livros sobre corseteria.


The Basics of Corset Building: A Handbook for Beginners (Linda Sparks)

Os Fundamentos da Construção de Corsets - Um Manual para Iniciantes (tradução nossa). Vocês podem encontrar esse livro na Amazon nesse link a partir de U$ 15,96 (eu comprei a versão nova capa-dura, porque amo livros e quero um bem novo e luxuoso!).

Texto retirado da descrição do livro na Amazon e traduzido por mim (perdoem os erros que acontecerem):
"Pense no corset como uma tela em branco.
O livro 'The Basics of Corset Building: A Handbook for Beginners' de Linda Sparks é um guia completo para confeccionar seu primeiro corset, incluindo:
Seção um: ferramentas e materiais para construção de corsets. Discussão sobre as ferramentas das quais você vai precisar, além dos tipos de aço, plásticos e tecidos.
Seção dois: confeccionando um corset. Tudo o que você precisa saber sobre barbatanas e busks, colocação de ilhoses e criação de um belo corset finalizado.
Seção três: técnicas de confecção. Todos os passos, incluindo a confecção de modesty panels, construindo uma maquete, e confeccionando corsets com uma camada, duas camadas, três camadas e corsets de tecidos finos.
Seção quatro: reformas e caimento. Discute sobre os moldes de corsets comerciais, assim como ajustar e estilizar um corset para ter exatamente a aparência que você deseja."


Corset: Historical Patterns & Techniques (Jill Salen)

Corset: Moldes Históricos e Técnicas (tradução nossa). Quem quiser também pode encontrar esse livro na Amazon nesse link a partir de U$21,67.

Texto retirado da descrição do livro na Amazon e traduzido por mim:
"25 lindos e historicamente precisos moldes de corset de 1790 a 1917 retirados de coleções privadas e de museus.
Cada deslumbrante exemplo é acompanhado de moldes, fotografias e desenhos, além de uma visão global fornecendo dicas inestimáveis sobre a confecção dessas peças históricas.
Esse livro também contém passo-a-passo de projetos, um corset de 1790 feito à mão e um corset de 1900 feito à máquina.
O livro também contém dicas práticas sobre confecção e detalhes históricos, desde de colocação de entretela e busk dividido, introdução a ilhoses e detalhes em linha.
Pesquisadores de trajes e moda irão achar esse livro uma adição necessária a suas prateleiras."


Corsets: A Modern Guide (Velda Lauder)

Corsets: Um Guia Moderno (tradução nossa). Também da Amazon, encontrado nesse link com preços a partir de U$1,67.

Texto retirado da descrição do livro na Amazon e traduzido por mim:
"O ideal de beleza pode ter mudado através dos tempos, mas a silhueta de ampulheta nunca saiu de moda. Recentemente quase extintos, os corsets estão de volta à moda como nunca antes.
Centenas de belas fotografias coloridas catalogando tanto exemplos clássicos quanto contemporâneos da arte da corseteria."




Espero que esses livros tragam informações históricas sobre corseteria, assim como dicas de como confeccionar um corset.
Curioso? Leia Mais aqui! ►

Diário da Cintura - Capítulo XXII: Guerra e Paz

Diário da Cintura - Capítulo XXII
Guerra e Paz

Rio de Janeiro, 16 de fevereiro de 2014.

Fiz as pazes com meu corset Ms. Morghann e estou de mau com meu novo corset Madame Sher
Parece que meu corpo prefere ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.

Desde quando recebi meu corset de verão em tela preta, lindo e absurdamente bem feito da Ms. Morghann estive tentando me adaptar a ele.
De início foi difícil. Foi tão difícil, que chegou uma hora que desisti e encostei ele no armário.
Então eu li um post da Iris no Tight Lacing Blog sobre reforma de corset (esse aqui) e cheguei a conclusão de que não poderia deixar o corset guardado, deveria entrar em contato com a corsetmaker e solicitar o ajuste.

Em novembro conversei com a Bárbara, a corsetmaker da Ms. Morghann e ela foi super solícita, aceitando receber de volta o corset para fazer as alterações que eu sugeri.
As reformas transformariam o corset em um waist cincher (um corset mais curto que só aperta mesmo a região da cintura).

Iria perder uma alça do busk e seria necessário cortar ainda todas as barbatanas.



Pois bem, de lá pra cá, mesmo tendo enviado essas imagens, ainda estava muito na dúvida sobre a real necessidade de alterar meu corset dessa maneira. Não queria ter de desfigurar tanto uma peça tão bonita...

Daí que dia 13 resolvi mais um vez vestir o corset Ms. Morghann pra fazer uma última tentativa de mantê-lo do jeito que ele é. E foi ótimo!!
Passei o dia todo com ele, foi confortável, foi bacana.

No dia 14, antes de ir para o trabalho, fui vestir novamente o Madame Sher novo, e simplesmente não consegui. Estava me machucando.
Acontece que o modesty panel do Madame Sher tem fixação lateral, que facilita muito no fechamento do corset, porque a gente não tem que gastar horas colocando o modesty panel no lugar enquanto aperta o cordame Mas isso tem o efeito colateral de poder beliscar a pele durante o fechamento. E foi isso que aconteceu.
Olha só meu dodói.

Tem um machucado bem na linha da cintura. A pele foi beliscada pelo modesty panel mesmo usando o liner como SEMPRE uso.

Terminei escolhendo colocar o Ms. Morghann de volta. Ele não macucou minha pele, por isso consegui usar pelo segundo dia consecutivo sem nenhum grande problema.
E agora ele fecha muito mais apertado!

Estou usando a mesma roupa que uso sempre para turar fotos dos corsets (no mesmo espelho, com a mesma colcha na cama!), por isso não se enganem pensando que as primeiras fotos e essas foram tiradas no mesmo dia.


O corset Ms. Morghann entretanto, tem alguns pontos a serem melhorados para servir perfeitamente em mim:

  • Eu ainda gostaria que ele fosse mais alto no tronco, chegando mais perto dos seios;
  • Mesmo totalmente fechado em cima, ele ainda é largo. Preferiria que ele fosse um pouco mais justo;
  • Já no quadril ele é estreito demais, sofrendo do mesmo mal que o antigo Madame Sher: sobra na frente, mas morde as laterais e a parte de trás.

Se fosse pedir um novo corset na Ms. Morghann, faria as mesmas observações que fiz no Madame Sher e que fizeram com que o caimento fosse perfeito.

Sobre o corset Underbust Painéis em V Madame Sher que eu vinha usando, a alteração que vou fazer nele é retirar o modesty panel assim como retirei esse do Ms. Morghann. Desse jeito vou poder continuar usando sem piorar o machucado na minha pele.
Então poderei revesar o treino entre um e outro. :)
Curioso? Leia Mais aqui! ►

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Diário da Cintura - Capítulo XXI: Lavando meu Corset

Diário da Cintura - Capítulo XXI
Lavando meu Corset

Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014.

Lava roupa todo dia...
Gentem, por mais delicada que a mulher seja, mesmo que use liners todas as vezes, se você é como eu, e treina sua cintura diariamente, chega uma hora que PRECISA lavar o corset.

Meu primeiro corset de treino foi lavado 2 vezes em 5 meses de uso praticamente diário (e, vou te falar, não precisou mais do que isso). E eu terminei inventando uma técnica que, até agora, deu certo.

Não achei um lugar com todas as informações concentradas sobre a maneira correta de lavar o corset (tem algumas informações saqui no site da Madame Sher, mas mesmo assim, fiquei com algumas dúvidas), mas como não sou de todo burra, tenho algumas considerações. Segue a maneira que eu lavo meu corset. *

  • Pra lavar seu corset, escolha um dia quente, daqueles perfeitos pra lavar edredom (eu lavo meus edredons em casa e sempre dá certo);
(crédito da imagem para Pingos de Chuva)
  • O corset tem peças de metal (busk, ilhoses e barbatanas). Por mais que elas sejam de aço inoxidável, a gente tá careca de saber que aço inoxidável pode enferrujar. Portanto, quem lava o corset tem que garantir que a peça vá secar muito rápido. Se alguma peça de aço enferrujar, adeus corset;
  • NUNCA, EM HIPÓTESE NENHUMA, coloque seu corset na máquina de lavar ou secar. A rotação da máquina pode entortar o busk ou as barbatanas e aí, adeus corset também;
  • Primeiro eu desmonto todo o corset: tiro o cordame dos ilhoses e separo o modesty panel. Aconselho lavar cada parte separadamente. Isso também facilita na hora de secar;
  • Depois, eu molho o corset somente com água, então, com um molho de detergente neutro e uma pitadinha de Vanish, uso uma escovinha de dentes para esfregar as partes mais sujas e engorduradas. Depois, com uma escova maior e macia, dou uma escovada geral no corset pelo lado do avesso e do direito;
(crédito da imagem para Amostra Grátis)
  • Enxáguo bastante até todo o sabão sair. Isso pode levar um certo tempo;
  • Dou uma leve espremida no sentido das barbatanas, sem torcer. Por mais que você seja a Mulher Hulk, o corset vai sair do processo pingando;
  • Lembrando que você foi espertinha e escolheu um dia beeeem quente, num horário que dê  para o corset ficar razoavelmente bastante tempo secando (acorde cedo, e faça isso antes do meio dia. #FicaDica), estenda sobre várias hastes do seu secador. Vai ocupar muito espaço e não dá pra colocar outras roupas junto;
  • Meu secador fica na sombra, o que é bom. Não aconselho deixar o corset quarando no Sol para não manchar ou desbotar;
  • Não use pregadores para não marcar o corset;
  • Não deixe o corset de molho na bacia com água para acelerar o processo: vai que você esquece e o bicho fica lá, depois enferruja tudo, depois você vai ter que gastar um dinheirão, esperar um tempão para ter um corset novo.
*Se alguém tem uma fonte de informações sobre uma maneira melhor de fazer isso, por favorzinho, conta pra mim.


Depois de seco, você vai ter que remontar seu corset novamente.
Fiz um post aqui com vários exemplos de amarrações úteis, fáceis e diferentes. #Sijogãnnnn

Relembrando que essa é a técnica que eu usei para lavar meu corset de TREINO. Ou seja, é um corset de sarja, robusto, resistente. Não acho que essa técnica seja adequada para lavar um corset fashion, de tecido mais fino.

Também não aconselho levar seu corset para lavar em lavanderia, a não ser que você tenha certeza absoluta de que eles sabem o tipo de vestimenta com a qual estão lidando.
Na lavanderia podem colocar seu corset em máquinas de secar, usar produtos impróprios que mancham ou enferrujam as barbatanas. Todo cuidado é pouco.

É isso. Da próxima vez que lavar um corset coloco as fotos aqui para as pessoas verem como eu faço.
Curioso? Leia Mais aqui! ►